Horário: Das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 17h30

OIKOS – A CASA COMUM.  Os rios da Casa | 4 de março

Arranque de nova temporada no Convento de Santo António de Ferreirim

A assinalar o início de nova temporada do fórum de discussão OIKOS – A CASA COMUM, terá lugar, a 4 de março, pelas 15h30, no Convento de Santo António de Ferreirim, uma conversa moderada por Joaquim de Jesus, com o presidente do Município de Lamego, Francisco Lopes, sobre rios e barragens.

Apresentado em setembro de 2022, no âmbito das Jornadas Europeias do Património, dedicadas ao tema Património e Sustentabilidade, OIKOS – A CASA COMUM compreende a organização de um fórum regular de discussão sobre ambiente e sustentabilidade, com o envolvimento da comunidade local e a participação de convidados ligados diretamente à temática. Fazendo referência ao projeto desenvolvido no College des Bernardins, em Paris (https://www.collegedesbernardins.fr/), OIKOS – A CASA COMUM é um lugar de diálogo com a sociedade, sobre cultura ambiental, a partir do extinto Convento de Santo António de Ferreirim, de obediência à Ordem fundada por São Francisco de Assis, justamente, uma das primeiras figuras da cultura ocidental a pensar a natureza com espaço de comunhão.

Na que será a quarta sessão do fórum, depois da sua apresentação e os debates sobre #2 A alegria da casa e #3 Como é bonita a Casa , a nova temporada inicia-se com #4 Os rios da Casa, mote para a conversa com Francisco Lopes, seguida de uma prática meditativa, orientada por João Pereira, a partir de música de Arvo Pärt, o compositor estoniano que trabalha um estilo simples e minimalista, de repetições hipnóticas, inspirado em cânticos de tradição mística.

OIKOS – A CASA COMUM é uma iniciativa do Teatro Solo (João Pereira), organizado em parceria entre o Museu de Lamego e Monumentos do Vale do Varosa e o Município de Lamego.


SNVA – Sangue Novo Veias Antigas e OIKOS – A CASA COMUM | 5 de março

Ação de divulgação no Núcleo Arqueológico do Castelo de Lamego

No dia seguinte, pelas 16h00, o Núcleo Arqueológico do Castelo de Lamego acolhe uma ação de divulgação, destinada a toda a comunidade, dos projetos SNVA – Sangue Novo Veias Antigas e OIKOS – A CASA COMUM.

A antecipar o terceiro ciclo anual de espetáculos SNVA – Sangue Novo Veias Antigas, que terá início na primavera, o Museu de Lamego e os Monumentos do Vale do Varosa, o Município de Lamego e o Município de Tarouca e Teatro Solo promovem uma ação de divulgação junto da comunidade dos projetos de mediação cultural e educativa que têm desenvolvido nos Monumentos do Vale do Varosa.

Criado com o intuito de estimular a criação artística e dar visibilidade a projetos emergentes ligados à dança e à música, Sangue Novo Veias Antigas parte do reconhecimento do enorme potencial dos Monumentos do Vale do Varosa como plataforma privilegiada do diálogo entre o passado presente e futuro, através de práticas artísticas contemporâneas, num território de baixa densidade populacional. Promovendo sentimentos de pertença, de identificação e apropriação do património, o projeto assenta numa rede colaborativa de escolas e associações vocacionadas para o ensino e produção artística, que agora se pretende expandir à coparticipação e cocriação com toda a comunidade.

Com o mesmo objetivo, a ação de divulgação pretende sublinhar a importância da realização e participação de toda a comunidade nos fóruns de discussão promovidos pelo projeto OIKOS – A CASA COMUM, sobre Ambiente e Sustentabilidade, um assunto transversal a toda a Humanidade, que põe em relevo a premência de cuidar o bem/a casa comum.

A entrada é livre, mediante a lotação dos espaços.