Horário: Das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00

Museu de Lamego

Largo de Camões 5100-147 Lamego

Concerto pelo CANTUSd’Alma no Mosteiro de São João de Tarouca

Será já no próximo dia 04 de setembro que o projeto CANTUSd’Alma irá apresentar-se em concerto, pelas 18h00, no Mosteiro de São João de Tarouca. Inspirado nas Cantigas de Santa Maria, o concerto está inserido no ciclo de música “CANTUSd’Alma no seu Património”, iniciativa que conta com o apoio do Programa Garantir Cultura e do Museu de Lamego | Monumentos do Vale do Varosa.

A entrada é gratuita, limitada à capacidade do espaço.


Sobre o CANTUSd’Alma:

“CANTUSd’Alma explora a essência da música medieval através das Cantigas de Santa Maria, com um espectro mais rico de novas sonoridades. Centrando-se na voz de duas almas e no amor pela música transporta para o século XXI a sonoridade e musicalidade do século XIII.

CANTUSd’Alma apresenta o seu primeiro trabalho “discursus” que para além de dar o nome ao seu primeiro original, tem como objetivo estabelecer uma evolução (movimento) ao longo destas cantigas, proporcionando ao ouvinte a identificação temporal das várias práticas musicais desde a era medieval até aos dias de hoje, utilizando para o efeito a riqueza de contrastes e características sonoras oriundas não só das vozes, mas também de outros instrumentos, como o acordeão, a percussão e o violoncelo. Uma interpretação distinta e singular são o resultado de uma combinação dos arranjos do compositor André Ruiz com uma visão alternativa e única sobre cada uma das cantigas.” (Fonte: CANTUSd’Alma)


Programa | Discursus

1. Madre de Déus, óra por nós téu Fill’ essa hóra

2. A Virgem, Madre de Nóstro Sennor

3. De vergonna nos guardar punna todavía

4. Tantos vai Santa María eno séu Pórto fazer de miragres

5. Discursus II (instrumental)

6. Rósa das rósas e Fror das frores (a cappella)

7. Homildade con pobreza quér a Virgen corõada

8. Muitas vegadas o dém’ enganados ten os hómes

9. Quen a omagen da Virgen e de séu Fillo honrrar

10. Como Déus fez vinno d’ agua ant’ Arquetecrinno

11. Par Déus, tal sennor muito val