Vale do Varosa distinguido como Emblema Regional

 

Integra cinco monumentos, entre os quais dois mosteiros cistercienses, considerados fundamentais na excelência reconhecida ao Douro como Património da Humanidade. Já premiado diversas vezes pela Associação Portuguesa de Museologia, em áreas como Conservação e Restauro, Informação Turística ou Museografia, consagrou-se além-fronteira com a atribuição do Prémio Internacional AR&PA de Intervención en el Patrimonio Cultural. Em 2017 o projeto Vale do Varosa volta a ser distinguido, agora pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, como “Emblema Regional”, no âmbito dos prémios “O Norte Somos Nós”.

Promovidos pela CCDR-N em parceria com o Jornal de Notícias, os prémios pretendem dar visibilidade pública a pessoas e instituições associadas a projetos inovadores, com elevado efeito demonstrativo, e que tenham sido apoiados pelo “ON.2 – O Novo Norte”, programa inserido no QREN. Estão por isso a votação uma seleção de 21 finalistas em 7 categorias temáticas.

A estes projetos juntam-se outros dezasseis, entre os quais o Vale do Varosa, de “acrescentada e enorme significância” na “consolidação do papel do Norte de Portugal no engrandecimento económico, social, cultural, institucional e cientifico do País”.

Estes Emblemas, como assinala a CCDR-N, destacam “pessoas e instituições cujo reconhecimento já foi validado publicamente. São emblemas regionais distinguidos com a atribuição de prémios ou com investimentos replicados noutras regiões europeias. Pelo mérito já alcançado, a organização destaca-os e sem os identificar como projetos finalistas, sujeitos à votação do público”.

O projeto “Vale do Varosa”, da responsabilidade da Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN) e sob gestão de proximidade do Museu de Lamego, aposta na salvaguarda e valorização do Património Histórico da região, enquanto motor de desenvolvimento. Foi por isso objetivo primeiro a recuperação do património móvel e imóvel dos mosteiros de São João de Tarouca e Santa Maria de Salzedas e Convento de Santo António de Ferreirim

Desde julho de 2016 a funcionar em pleno, a rede viu em 2014 o número de membros aumentar com a entrada da Ponte Fortificada de Ucanha e da Capela de São Pedro de Balsemão.

A atribuição do Emblema Regional vem ainda dar mais força a um projeto de dimensão regional que, além da reabilitação, aposta ainda na sustentabilidade, através de uma estratégia de promoção contínua dos espaços e da organização dos mais diversos eventos e na fidelização de quase todos os operadores turísticos a trabalhar no Douro.

A sessão de entrega dos Prémios “O Norte somos Nós” está agendada para o dia 30 de novembro, às 21h00, no Museu do Carro Elétrico, no Porto, gala onde serão também homenageados os projetos distinguidos como Emblemas Regionais.