Mosteiro de São João de Tarouca recria leitura de sermões e outros escritos de São Bernardo

Depois de em 2018 o Mosteiro de São João de Tarouca ter sido palco da reconstituição inédita da reunião capitular para a leitura de “Apologia para Guilherme”, em 2019 recupera “Sermão sobre o conhecimento e a Ignorância” e “Amo porque amo, amo por amar” e outros escritos do principal impulsionador da Ordem de Cister, São Bernardo de Claraval. Às 21h30, a igreja do primeiro mosteiro cisterciense a ser construído em Portugal abre as portas para mais um momento único, num encontro com palavras antigas, eternas, que vêm de longe…

Mosteiro de São João de Tarouca recria leitura de sermões e outros escritos de São Bernardo

Exemplos paradigmáticos do pensamento medieval e contributo fundamental para a compreensão teológica do percurso do cristianismo, assim como para o entendimento da matriz cultural do mundo ocidental, os textos tomam forma pelo Teatro Solo, parceiro do projeto que recupera e divulga alguns dos mais emblemáticos textos de São Bernardo.

No último sábado do mês de julho, o Museu de Lamego e o projeto Vale do Varosa propõem, a partir das 21h30, uma experiência singular, um encontro com palavras antigas, velhas de tempo, mas novas de espírito, tornando-se vivos reflexos de eternidade. 

A entrada é livre.

Mosteiro de São João de Tarouca | 40.995316, -7.746171  

João Pereira | Teatro Solo

Fundador do Teatro Solo, João Pereira, de 48 anos de idade, tirou o curso de teatro, na área da interpretação – ACE. Possui formação complementar em Estudos Shakesperianos – Arden School of Theater – South Manchester College. É professor de Teatro desde 1995, fazendo ainda parte da sua atividade direções e coordenacões artísticas no Rivoli Teato Municipal, Casa da Música Porto e Museu Nacional Soares dos Reis.