Mosteiro de Santa Maria de Salzedas reabre as suas portas

O mosteiro cistercense de Santa Maria de Salzedas, em Tarouca, abriu de novo as portas ao público depois de obras de requalificação, orçadas em um milhão de euros que incluem o restauro de 12 pinturas de Grão Vasco.

O secretário de Estado da Cultura, Francisco Viegas, presidiu à cerimónia de inauguração, que decorreu no dia 26 de Outubro, e que contou ainda com o lançamento do livro infantil “O Mosteiro de Santa Maria de Salzedas: as formigas, o gaio e as pedras”, com textos de José Jorge Letria e ilustrações de Elsa Lê.

 

Na ocasião, o Presidente da Câmara Municipal de Tarouca, Mário Ferreira, destacou a excelente recuperação que foi feita na ala norte do Mosteiro, frisando que “este monumento da Ordem de Cister é um marco da nossa história que tem, necessariamente, de ser preservado e divulgado”.

 

Erigido no século XII, por ordem de D. Teresa Afonso, esposa de Egas Moniz, o Mosteiro de Santa Maria de Salzedas, a par do Mosteiro de São João de Tarouca, é um dos mais emblemáticos monumentos ligados à Ordem de Cister em Portugal, anterior ao Mosteiro de Alcobaça.
As obras a que foi sujeito agora, num projecto iniciado ainda durante o governo de António Guterres, incluem o restauro da sacristia, a área de guarda dos paramentos religiosos, o tecto, o chão e as escadarias, interiores e exteriores, além da fachada e do interior da capela.

Leave A Reply

O seu endereço de email não será publicado.