INFORMAÇÃO | Mosteiro de Santa Maria de Salzedas

A Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN) e o Vale do Varosa informam que a partir desta sexta-feira, 28 de junho, o acesso ao Mosteiro de Santa Maria de Salzedas é feito através da igreja. Esta situação mantém-se até à finalização das obras de requalificação da área de receção e loja do mosteiro, ao abrigo da segunda fase do “Projeto Vale do Varosa”, promovido pela DRCN e cofinanciado pelo Programa Norte 2020.

Vale do Varosa. Mosteiro de Santa Maria de Salzedas. Fachada.

A intervenção no Mosteiro de Santa Maria de Salzedas inclui ainda a já concluída obra de conservação e restauro do teto da antiga Botica e do piso superior do emblemático Claustro do Capítulo, que vai permitir ampliar a área de visita, assim como a consolidação do Claustro da Colação.

Estão assim reunidas as condições para que, brevemente, o Mosteiro de Santa Maria de Salzedas possa oferecer aos seus visitantes novos e renovados motivos de visita a um mosteiro intimamente ligada à figura de Teresa Afonso, esposa de Egas Moniz, e cuja construção começou em 1168.

Largamente ampliado no século XVII e XVIII, destaca-se em todo o complexo monástico o monumental claustro do século XVIII, o Claustro do Capítulo, com traço do arquiteto maltês Carlos Gimach. Conta ainda no seu espólio com trabalhos de alguns dos maiores nomes da pintura em Portugal como Vasco Fernandes (Grão Vasco), Bento Coelho da Silveira ou Pascoal Parente.

Com a extinção das Ordens Religiosas em 1834, a igreja foi convertida em igreja paroquial e parte das dependências monásticas vendidas a privados. Classificado Monumento Nacional em 1997, abriu ao público em outubro de 2011, ao abrigo da primeira fase do “Projeto Vale do Varosa” que arrancou em 2009 com financiamento ON2 e que levou à criação e abertura ao público de rede de monumentos Vale do Varosa, que inclui, além do Mosteiro de Santa Maria de Salzedas, o Mosteiro de São João de Tarouca e Convento de Santo António de Ferreirim. Em abril de 2014 a rede foi ampliada com a integração na rede da Ponte Fortificada de Ucanha e da Capela de São Pedro de Balsemão.